domingo, 19 de março de 2017

Casamento rústico parte 1: uma tendência charmosa

Olá gente, tudo bem com vocês?
Hoje quero falar do convite que recebi para ser madrinha de casamento de uma querida e de um querido que muito estimo. Conheço ela desde que era uma menininha e agora com orgulho olho para a moça linda e meiga que se tornou e vibro pela oportunidade linda de participar do casamento dela duplamente. Duplamente porque não apenas terei a honra de ser a madrinha ao lado de meu amor-marido, mas também estarei ao lado de minha irmã, a jornalista Andrielle Mendes, colocando em prática nossos hobbies de decoração, trabalho com feltro e scrapbook.
O casamento é nos próximos meses e nós duas já começamos o planejamento junto com a noivinha Jaqueline para acertar cada detalhe e ter um casamento bonito e charmoso, sem estourar o orçamento.
A celebração será no final da tarde e será servido um coquetel para os poucos convidados. Ou seja, esse casamento é um mini wedding, um casamento para menos de 80 convidados, o que garante que só vai participar desse grande encontro de almas, aquelas pessoas que fazem parte de fato da vida do lindo casal.
As vantagens de um mini wedding são muitas, principalmente pelo tom mais intimista, pelo orçamento mais reduzido e claro, pelo sentido da festa ser estar cercado de pessoas queridas e amadas, não apenas de convidados que agregam valor ao evento pelo presente que podem contribuir.
Assim, pelo formato da lista de convidados, fizemos a opção pelo casamento do estilo rústico e estamos adorando planejar cada coisinha nele.
E como compor um casamento nesse estilo? alguns elementos que são essenciais: velas, juta, toalhas de papel rendado, flores do campo, elementos em madeira, como escadas de madeira, caixas, caixotes, placas e móveis mais rústicos, além de vidros variados e garrafas de vinho, de cervejas, potes de conservas e potes de molho de tomate.
Então, na nossa postagem de hoje quero compartilhar algumas ideias que encontrei na blogosfera e que vão inspirar vocês.

O bolo é uma das atrações da festa de casamento, e nesse caso, ele ganha um ar mais simples, podendo ser decorado apenas com glacê ou ter o formato do bolo pelado, ou naked cake.

Inspiração via www.casar.com.



Inspiração via http://www.boho-weddings.com/2017/03/04/boho-pins-cake/


Inspiração via https://apracticalwedding.com/small-wedding-cake-ideas/?utm_referrer=https://www.facebook.com/

Inspiração via https://apracticalwedding.com/small-wedding-cake-ideas/?utm_referrer=https://www.facebook.com/




O casamento rústico tem pitadas vintage e boho chic e tudo se complementa de forma graciosa e bonita. Vamos conferir algumas ideias de decoração pra lá de lindas.

As gaiolas aparecem como centros de mesa, em mesinhas de doces ou de lembrancinhas, com flores delicadas, velas e muita fita. São excelentes para compor um cenário rústico mais romântico.
Inspiração via http://blog.stylishwedd.com/30-birdcage-wedding-ideas-to-make-your-wedding-stand-out/




O uso de placas de madeira com localização ou plaquinhas divertidas está em alta. Também temos o uso de caixotes como estantes, mesinhas ou simplesmente compondo um cenário mais rústico e natural. Percebem a versatilidade dos caixotes e caixas de madeira?
Inspiração via http://weheartit.com/entry/11432606/via/designmevintage?page=2


Inspiração via https://www.theprettyblog.com/wedding/frans-stephne/

Inspiração via http://countrywisher.tumblr.com/
Inspiração via http://www.rusticfolkweddings.com/2015/02/17/5-christian-wedding-ideas-reception/


O tecido juta tem uma qualidade de ser bem rústico e ao mesmo tempo, em conjunto com rendas, bicos e passamanarias formar belas composições que podem ser usadas na decoração da recepção, da igreja e das próprias lembrancinhas de casamento.
Inspiração via https://www.weddingsonline.ie/blog/14-fabulous-wedding-table-runners/
Inspiração via http://www.intimateweddings.com/blog/12-beautiful-burlap-ideas/


Garrafas e vidros são os verdadeiros coringas em um casamento rústico, pois tanto podem compor o centro da mesa dos convidados, como podem ser espalhados na mesa dos doces e lembrancinhas, ou compor um lindo mural para as fotos. Os usos são muitos, mas a única certeza é que a decoração fica mais linda.


Inspiração via http://www.stylemepretty.com/2014/05/08/golden-sebastopol-wedding-at-oconnell-vineyards/

Inspiração via http://www.stylemepretty.com/2014/05/08/golden-sebastopol-wedding-at-oconnell-vineyards/
Inspiração via http://www.deerpearlflowers.com/cheap-mason-jar-wedding-ideas/2/

Inspiração via http://www.deerpearlflowers.com/cheap-mason-jar-wedding-ideas/2/


Espero que tenham gostado dessas inspirações tanto quanto eu. A noivinha disse que amou e já estamos planejando o que vamos agregar ao seu grande dia.
Depois vamos falar de outros detalhes, como o formato da festa, o convite e as lembrancinhas dos convidados.
Um super beijo de luz e uma semana abençoada para nós!
Andreia Regina

domingo, 12 de março de 2017

Nova vida, novo blog

Olá gente, tudo bem com vocês?
Espero que sim. Aqui chove nesse Nordeste de Deus e somos gratos pelas águas que caem em março, principalmente as que enchem açudes, barragens e poços.



A novidade de hoje é que finalmente temos uma identidade para nosso blog. Para quem ainda não sabe, em 2012 tive meu ano sabático e resolvi começar um novo blog para falar de meus novos desafios como esposa, dona de casa e madrasta. Eu já tinha um blog anterior onde falava de história e antropologia, mas precisava ser apenas eu, Andreia Regina, não a professora Andreia Mendes e assim fiz a primeira postagem na nossa Terapia da Casa.
Escolhi esse título por estar na época envolvida com a escrita da tese e as pesquisas do doutorado, por isso, encarando meus momentos no blog como uma terapia que me deixava mais centrada naquilo que era mais importante para minha alma, para minha identidade.
Então, cinco anos passaram e apesar de ter centenas de visitas por dia, sempre vi o blog como um espaço de minha terapia, sem pretensões comerciais, simplesmente escrever por amar a escrita e adorar falar do cotidiano feminino.
Mas nos últimos meses tenho visto o quanto é importante ser lida e tomei a decisão de criar uma identidade para nosso blog. Convidei então meu ex-aluno, o talentoso designer potiguar Hiago Fernandes e dei a tarefa para ele executar.
O resultado é esse que vocês viram: uma logo linda, com muita personalidade e ao mesmo tempo, revelando no quadro do canto meu lugar de fala, meu pertencimento ao clube de Clio, meu ser de contadora de histórias.

Quero então agradecer de coração para minhas leitoras e leitores, dizer que vibro quando vejo novamente os mesmos destinos visitando a minha página diariamente, que amo ver que assim que atualizo as postagens, vocês aparecem aqui para ler. Gratidão!
Um forte abraço e um cheiro de luz para todos e todas e até loguinho com mais novidades!
Andreia Regina




domingo, 5 de março de 2017

Uma casa dentro da caixa: organizando a mudança

Olá gente!
Tudo bem com vocês?
Como foram de carnaval?
Aqui ficamos em casa planejando o processo de mudança e, quando digo processo é pelo fato das coisas estarem acontecendo de forma muito lenta mesmo.
Então, já que só na última semana conseguimos colocar as grades nas janelas e o portão novo, agora começou a fase de embalar as centenas de livros e objetos de decoração que existem espalhados pela casa.

Em 15 anos acumulei não só muitos livros, mas muitos presentes, mimos de viagens, porta retratos e o que é mais grave: objetos de cozinha. Como se desfazer de tanta coisa? essa é a questão mais importante dessa mudança de casa.

Então aproveitei o feriado de carnaval e embalei todos os objetos da estante da sala: foram quatro caixas repletas de filmes, cds, jogos de vídeo game e pequenos aparelhos de som antigos. Falta ainda embalar os objetos que fazem parte de nosso pequeno altar na sala de visita. Além de fechar as caixas com fita adesiva como na foto, também coloquei uma etiqueta informando em qual espaço devem ficar aquelas caixas. Essa é a dica que dou para vocês. Assim, na hora de levar a mudança para a casa nova, os ajudantes já podem deixar as caixas em seus respectivos espaços e você pode decidir o que é mais importante para abrir primeiro.




Após ler os livros de Marie Kondo, consegui abrir mão de muitas roupas, sapatos, bolsas e bijuterias antigas, até minha sobrinha ganhou alguns anéis e brincos de prata. Mas continuo presa aos livros e papelada. Garanto que até agora já esvaziei uma estante de metal grande, mas ainda tem três estantes de madeiras abarrotadas de livros.
Marie Kondo já havia dito que se livrar de livros, fotografias e papelada é a fase mais difícil de uma mudança, e estou sentindo isso. Ah, percebem que falo no singular? ninguém está muito envolvido com o trabalho de separar os livros, jogar fora o que não interessa mais ou doar o que pode ser útil para outra pessoa. Simplesmente estou sozinha nessa guerra.

Com a sala de estar quase finalizada, a batalha da vez é no home office e espero mesmo até o próximo post ter finalizado com esse ambiente. Acredito que embalar e guardar por ambiente favorece a organização na hora da mudança.
Então é isso gente, vou rezar para que energias boas favoreçam nossa mudança e que possamos reconstruir um novo lar.
Um beijo de luz e deixem um comentário sobre quando tiveram que colocar uma casa numa caixa, vou adorar saber de outras famílias que viveram o mesmo que eu.

Andreia Regina

domingo, 19 de fevereiro de 2017

Quarto de bebê e home office: união necessária

Olá gente!
Tudo bem com vocês?
Eu estou mais animadinha com a mudança, pois como vocês leram no penúltimo post, estou processando moderadamente as transformações em minha vida nesse novo ano de 2017.
E outra grande mudança é o fato de juntar em um único espaço meu home office com o quarto de nossa futura filha. A ideia me pareceu péssima no início e estava quebrando a cabeça pra evitar a todo custo deixá-la sem o cantinho especial dela. Mas meu amor-marido acredita que a ideia é boa e que posso manter as estantes de nossa biblioteca na sala integrada e dispor apenas de minha escrivaninha (Meu Móvel de Madeira) e uma estante duas portas (Etna) no quarto de Diana.
Então, depois que passei a visualizar essa possibilidade, corri pro Pinterest e em alguns sites e descobri poucas inspirações legais. Isso acontece pois normalmente o casal abre mão do home office em favor do quarto do bebê, mas no nosso caso, é impossível já que os livros são nossas ferramentas de trabalho.


Mesmo com poucas ideias bacanas, vamos conferir? o queridinho www.apartmenttherapy.com  tem algumas inspirações. Mesmo o espaço sendo bem pequeno, a escolha de uma escrivaninha menor não prejudica a circulação na hora de trocar o bebê. Não tenho certeza quanto se a cadeira só aparece na hora do trabalho, mas também gostei dessa mobilidade. Para conferir essa ideia e outras: http://www.apartmenttherapy.com/smaller-cooler-2009-names-titl-13-84193.




A outra inspiração encontrei na página www.shuzhong.biz. O estilo bem despojado permite que a escrivaninha dialogue com os demais móveis, o que é bem aconchegante.

O próximo combo de quarto de bebê e home office veio do Pinterest e aqui tenho uma ressalva bem grande em relação à cadeira da escrivaninha. Ela ficou muito pesada para o ambiente, deixando o espaço pouco integrado. Certeza que um tom mais claro na cadeira ou até mesmo um modelo de madeira, daria mais leveza.


Já nessa outra inspiração do Pinterest vemos uma combinação mais harmoniosa entre todos os móveis que estão compondo o ambiente. O tampo da escrivaninha em um tom parecido com o da cômoda do bebê ajudou na integração. Em um canto observamos uma estátua de Buda e do outro o trocador do bebê, reforçando que esse espaço é dividido com equilíbrio.


Por último, uma inspiração linda também do Pinterest, em azul e branco: encantadora.


Vou continuar a minha busca e depois mostro para vocês como ficou o nosso espaço compartilhado.

Um beijo de luz para vocês e não esqueçam de nos seguir no Instagram: @blogterapiadacasa

Até logo!
Andreia Regina 

quarta-feira, 15 de fevereiro de 2017

A luta contra o pré-diabetes

Olá gente!
Tudo bom com vocês?
Eu espero que estejam ótimos.
Hoje quero compartilhar com vocês sobre minha luta contra o estado de pré-diabetes. A suspeita foi numa visita ao meu mastologista, quando ele sugeriu que eu poderia estar resistente à insulina pelo fato de me encontrar em situação de sobrepeso e com dificuldades para engravidar. Naquele momento descartei a possibilidade, pois ainda não tinha investigado se havia casos de Diabetes na família paterna, mas com o passar dos meses comecei a sentir um enjoo a cada fatia de torta, pedaço de pudim ou barrinha de cereal que comia e fiquei apreensiva. Com quase 40 anos e uma vida totalmente sedentária, eu já tinha motivos suficientes para procurar um especialista e apenas em novembro consegui me consultar com um endocrinologista.
Ele me pesou, verificou minha pressão arterial e fez algumas perguntas sobre minha alimentação e hábitos saudáveis. Em seguida, solicitou os exames, entre eles o da curva glicêmica. Realizei na mesma semana e quando o resultado saiu

fiquei bastante surpresa: estava pré-diabética.

A solução inicial seria começar a fazer uso do medicamento, mas me conhecendo, sabia que manteria os doces por perto, então, resolvi ser mais radical e iniciei uma dieta restrita de açúcar ou de carboidratos com alto teor glicêmico.
Em três meses minha vida mudou bastante. Retomei a Reeducação Alimentar do programa feito pela minha nutricionista Dayane Deise. Passei a usar no café o adoçante com stévia e tomar alguns sucos sem açúcar. Os horários do lanche são sempre acompanhados por  2 frutas diferentes, de acordo com meu plano passado pela nutricionista. Quando vou almoçar ou jantar na casa da família, ao invés de deixar todos constrangidos por terem que preparar o suco sem açúcar ou ter sempre refrigerante diet em casa, eu mesma levo minha bebida, além de minha bolsa térmica com o lanche.
Como ainda não retomei a atividade física, a perda de peso foi pouca, de apenas três quilos, mas o fato de subir na balança e ver o ponteiro descendo a cada semana, já me alivia bastante, pois fazia tempo que o inverso acontecia.





 O estado de pré-diabetes se caracteriza como uma doença que abre espaço para o desenvolvimento do Diabetes tipo 2, doença crônica que atinge milhões de brasileiros. O ideal é associar uma alimentação balanceada com muitas frutas, legumes, verduras, sementes e grãos com uma rotina de exercícios. Como vamos nos mudar no próximo mês, vou procurar uma academia de ginástica perto da minha nova casa e começar um programa três vezes por semana. A partir daí acredito que a perda de peso vai se acelerar chegando aos dois quilos por mês e atingindo minha meta de médio prazo que é perder 10 quilos em seis meses.


Espero que com esse post, conscientize alguns de vocês a procurar um especialista caso esteja com sobrepeso, cansaço, sonolência, irritação, vontade constante de ir ao banheiro e aumento de peso. Até manchas escuras no pescoço, dedos das mãos e joelhos podem sinalizar a presença da doença. Indiquei estes sintomas pois foram os que consegui identificar até procurar um endocrinologista. 
Após quase dois meses de cuidados, fiz a verificação da minha pressão arterial com um médico clínico geral e ela estava normalizada. Só isso foi uma grande vitória. Então, vamos acreditar que a cura pode estar nas nossas mãos, basta comprometimento e força de vontade.

Um beijo de luz e até logo.
Andreia Regina

quinta-feira, 9 de fevereiro de 2017

Casa nova, vida nova: a compra

Olá gente, tudo bom?
Espero que estejam bem!
Eu aqui estou vivendo as alegrias e angústias da compra de uma casa nova. As alegrias são muitas: um espaço maior, um quarto para minha filha, uma moradia mais perto do centro de Natal. Mas as angústias também existem, desde o fantasma da mudança, passando pela estranheza da vizinhança e pelos novos desafios que a nova morada trará.


Mesmo assim, busquei entender que todo esse processo é natural, afinal, faz doze anos que comprei casita e fui ao longo do tempo adaptando cada espaço para tornar mais parecido comigo. O medo da transformação no viver é gigante, mas preciso entender também que a mobilidade faz parte da vida e que às vésperas dos quarenta anos preciso construir uma nova identidade, diferente pois agora será de mãe que abdica de seu home office para ter um espaço para a filha que a cegonha irá trazer.


Então esse post de hoje é para falar um pouco do processo da compra. Ainda não vou colocar as fotos, pois a reforma ainda não teve início e quero que acompanhem o antes e o depois. Combinado?
Quando eu casei com amor-marido em 2010 já tinha comprado casita fazia cinco anos. Tanto que os móveis e objetos de decoração tinham muito a minha marca e levou algum tempo para que algumas coisas parecessem um pouco com ele. Os enteados-filhotes tiveram mais sorte pois ganharam um quarto só deles e de certa forma, consegui deixar o espaço longe de minhas delicadezas femininas (risos).
Porém, foi após o início do processo de gravidez biológica que percebemos que seria necessário mais espaço para um novo filho e filha e em 2014 começamos nossas preocupações sobre a compra de uma nova casa. Como não engravidei, demos início ao processo de adoção e permanecemos com a ideia de que uma nova família exigia uma nova morada. Foi no ano passado que recebemos de presente de minha sogra o capital necessário para a entrada do novo lar e começamos a nossa pesquisa, que foi breve demais, pois logo meu marido se apaixonou por uma casa, sem sequer se preocupar com os desafios da nova vizinhança.

Assim, após achar a casa, o segundo passo foi procurar um agente da Caixa Econômica através de um Correspondente. A empresa fez todo levantamento da documentação, mas após a avaliação do engenheiro, o processo foi interrompido. Procuramos então a própria agência da Caixa e retomamos o processo de compra através de um financiamento.
O normal é o processo durar de 45 dias até 60 dias, mas o nosso durou ao todo 100 dias aproximadamente.
A compra da casa aconteceu no final de janeiro e estamos na fase de registro do imóvel que deve se encerrar na semana que vem, quando começaremos de fato a reforma.
Aos poucos vou compartilhando das transformações com vocês e torcendo mesmo que minhas angústias se dissipem e sejam apenas euforia. Por fim, que possamos viver uma vida plena de amor, harmonia e união na nova casa e que muito em breve eu possa torná-la nosso lar, doce lar.
Contem se já viveram as alegrias e angústias de uma mudança de casa!

Um beijo de luz para vocês.
Andreia Regina


sábado, 28 de janeiro de 2017

O poder da mandala

Olá gente!
Tudo bem com vocês?
Espero que sim. Aqui estamos todos de volta ao trabalho e aos estudos, mas com as energias renovadas e a fé fortalecida. E algo que tem chamado minha atenção nos últimos dias é sobre os ensinamentos das culturas orientais para que possamos viver melhor no presente.
É comum ver que nós ocidentais tomamos parte da cultura oriental e damos novos sentidos. Um caso bem interessante é sobre o poder da mandala em nossa imaginação. Basta ver a quantidade de livros de pintura para adultos, também chamados de livros antiestresse ou arte terapia e que têm como tema principal a pintura de mandalas. Eu mesma presenteei minha amiga Catarina com um deles algum tempo atrás. E quem não conhece e quer se divertir ou relaxar com eles, vejam quantos podemos encontrar em livrarias e bancas de revistas:








A questão principal é: qual o poder da mandala? conhecemos todos os seus significados originais? sabemos de sua importância nas culturas hindu e budista tibetana?
Bom, a partir de uma pesquisa breve em alguns dos meus livros sobre simbologia e psicanálise, trago algumas breves explicações que podem ajudar quem tiver interesse de se aprofundar nesse lindo tema.
Inicialmente, a palavra MANDALA vem do sânscrito e significa "círculo". O círculo por sua vez simboliza a totalidade, o todo seja ele cósmico, espiritual ou psíquico. O objetivo principal da mandala é conduzir a pessoa na meditação daí vem a importância da existência de símbolos com significados especiais em cada tradição religiosa. Para Brenda Mallon, a mandala significa ainda harmonia, equilíbrio e uma jornada para a iluminação pessoal.
A mandala também é uma representação do cosmos e da consciência e serve para o progresso espiritual, segundo Claire Gibson. As diversas formas que aparecem numa mandala, como círculo, centro, quadrado, triângulo para cima ou triângulo para baixo possuem sentidos especiais dentro das crenças hindus e budistas. O círculo por exemplo simboliza o universo ou o eu.
Dessa forma, a mandala é um auxiliar para a grande transformação pessoal, principalmente quando reúne os elementos simbólicos necessários para a meditação que auxilia a progressão. Manfred Lurker oferece a descrição de uma mandala ideal para meditação segundo a tradição budista. Após essa minha incursão pelos sentidos da mandala, nunca mais olharei uma da mesma forma e vou procurar uma representação para colocar em meu espaço zen, em breve.
Para quem quiser saber mais, pode procurar nas referências que cito no final do post e explorar os links abaixo das imagens.
Espero que aja um novo despertar para cada um de nós nesse novo ano, novo tempo e começo de novas transformações planetárias.
Não esqueça de deixar seu comentário, meu coração fica grato pela gentileza.
Um beijo de luz:
Andreia Regina


Imagem: Via Pinterest.







http://ktc.org.br/blog/2013/12/1575/
Monges produzindo mandala com areia colorida.

PARA SABER MAIS:

GIBSON, Clare. Como compreender símbolos. Guia rápido sobre simbologia nas artes. São Paulo: SENAC, 2013.
JUNG, Carl G. O homem e seus símbolos. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2008.
LURKER, Manfred. Dicionário de simbologia. São Paulo: Martins Fontes, 2003.
MALLON, Brenda. Os símbolos místicos. Um guia completo para símbolos e sinais mágicos e sagrados. São Paulo: Larousse do Brasil, 2009.






Você vai gostar de:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...